fbpx
É possível viajar apenas com a bagagem de mão?
6 de novembro de 2019
Mostrar Tudo

Tailândia e suas belas particularidades por Raquel Cirino

Todos sabem que a Tailândia tem praias paradisíacas, é ótima para o turismo e tem preços mais atrativos que outros destinos. Mas, não é só isso. Visitei o país pela segunda vez e me interesso cada vez mais por esse povo e por sua rica cultura.

Religião e acolhimento

A religião oficial é o budismo, praticada por 95% da população. Conhecida como a terra dos sorrisos, a Tailândia abriga um povo atencioso e receptivo, que pode não entender o que dizemos, tampouco se comunicar com você, mas o sorriso sempre é fácil de se receber em qualquer situação, seja na compra de algo, na  negociação ou em uma conversa no táxi ou no meio da rua. Tem coisa melhor?

Ao cumprimentar, faça o WAI 🙏

Lá, as pessoas não se cumprimentam com beijinhos ou abraços, como nós ocidentais, aliás é bom não usar o costumeiro “toque”. Eles unem as mãos em frente ao peito, como num gesto de oração, inclinando levemente a cabeça para baixo. Este gesto chama-se “wai”, sendo muitas vezes um sinal de respeito. No caso de cumprimentar um monge ou figura pública por exemplo, a inclinação do corpo deve e é maior e as mãos devem estar acima do nariz.

Culturalmente, como o wai é visto como sinal de respeito, não é adequado cumprimentar crianças, tampouco funcionários de hotéis dessa forma (porém, vindo de turistas, é permitido, pois eles sabem que fazemos sem saber o que é certo ou errado, até porque queremos agradar a todos com o gesto que acabamos de aprender).

Mercados e feiras

Os mercados locais podem ser chamados de vários nomes. Nos Souks, por exemplo, encontramos as inúmeras barracas ou tendas, essas feiras de rua podem ser diurnas ou noturnas. Estão por todos os lados onde se vendem de tudo, desde frutas típicas, banana frita, comidas, sopas, arroz frito, noodles, pad thai, além de roupas e objetos usados. São muito populares, tanto na capital, Bangkok, como por todo o país.

Sapatos sempre do lado de fora

Seja em um templo ou a casa de um local, tire os sapatos antes de entrar. É sinal de respeito, pois há a crença de que as energias positivas ou negativas entram sempre pelos pés. Além disso, apontar algo ou alguém com os pés é uma tremenda falta de respeito, portanto, fique esperto, jamais faça isso. É falta de educação!

Gastronomia

A gastronomia tailandesa é deliciosa, muito ousada, picante e acessível. No Chinatown poderá encontrar um delicioso prato com frutos do mar frescos por menos de $ 20 ou provar o menu em um dos melhores restaurantes do mundo por $ 60. São muitas e verdadeiras especiarias com valor muito acessível, o que permite provar o novo e conhecer essa culinária saborosamente peculiar.

Cidade mais visitada do mundo

Acolhendo cerca de 22,7 milhões de visitantes internacionais, Bangkok foi classificada como o principal destino para viajantes globais este ano, de acordo com o Índice de Cidades de Destino Global 2019 da Mastercard. A capital tailandesa foi nomeada a cidade mais visitada do mundo nos últimos quatro anos.

Cores e Budas

Cada dia da semana tem uma cor, pois cada tailandês tem uma cor da sorte que é definida pelo dia da semana em que nasceu. O amarelo está especialmente em alta porque o Rei Bhumibol nasceu em uma segunda-feira (os tailandeses amam e respeitam muito o Rei). Além de cada dia da semana ser representada por uma cor, cada dia também tem um Buda específico. Dessa forma, quando a pessoa nasce, tem um “Buda” próprio para que ele faça suas orações. Meu marido, em nossa primeira viagem a Tailândia, tatuou seu buda no braço como uma forma de homenageá-lo pela cura de uma doença grave. Muito embora não seja budista, respeita essa crença com muita admiração. As cores usadas são: Domingo Vermelho, Segunda-feira amarelo, Terça-feira rosa, Quarta-feira verde, Quinta-feira laranja, Sexta-feira azul claro, sábado Roxo.

CHIANG MAI – Berço do Festival das Lanternas

Cidade-Berço do Festival das Lanternas, Chiang é uma cidade no norte montanhoso da Tailândia. Fundada em 1296, pode ser considerada um museu a céu aberto, com vestígios de muralhas e fossos que relembram sua história como um centro cultural e religioso. A cidade também abriga centenas de elaborados templos budistas, sendo o local escolhido para o início do belíssimo festival. É uma ótima opção para conhecer melhor a história da Tailândia, através de seus monumentos, parques e de seu povo.

O Festival das Lanternas

Segundo a história, a origem do Festival vem da dinastia Han. O imperador Ming, defensor do Budismo, percebeu que alguns monges acendiam lanternas nos templos no 15° dia do primeiro mês lunar, em respeito a Buda. A partir daí, ele ordenou que todos os templos e casas deveriam ter lanternas acesas nesse dia. Coincidentemente, acontece simultaneamente com outra comemoração muito significativa, o Loy Krathong, festival celebrado anualmente em toda a Tailândia. Ocorre na noite de lua cheia do duodécimo mês do calendário lunar tradicional tailandês. No calendário ocidental se coincide, normalmente, com o mês de novembro. “Loi” significa “flutuar”.  Ambas tanto as lanternas quanto os Kratongs (barquinhos que são soltos nos rios) são feitos pra levar o que temos de energias que não estão boas a fim de que as outras boas tome lugar em nossas vidas, essa é a crença budista.


Já estamos nos programando para 2020. O que você está esperando para fazer parte do próximo grupo MULHERES PELO MUNDO NO FESTIVAL DAS LANTERNAS DE 2020? Será uma honra tê-la conosco!

Quer compartilhar algum fato curioso sobre a Tailândia? Fique à vontade e seja muito bem-vinda ao nosso blog.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *